Luz & Cena – Direção de Fotografia 137

Matéria sobre Direção de Fotografia para Vídeo na revista LUZ & CENA

 

 

Para leitores que não conseguiram ter a oportunidade de ler a matéria sobre Direção de Fotografia para Vídeo da Luz & Cena, estaremos publicando aqui as matérias passadas.

 

CURTAM e APROVEITEM!

 

 

 

Entenda a língua falada pelos diretores de fotografia
por Léo Miranda 10/12/2010
A partir desta edição, a Luz& Cena dedicará este espaço a artigos sobre direção de fotografia para vídeo. Na coluna, apresentaremos os elementos necessários para se ter a melhor fotografia (do grego [fós,foto] = luz, [grafis] = desenhar ou escrever)  em vídeo (do latim = eu vejo).Ou seja, vamos mostrar os recursos empregados pelos profissionais da área que permitem a todos “ver o desenho da luz através de imagens”. A ideia inicial é fornecer embasamento técnico para, mais à frente, avançarmos para o lado criativo e lúdico da fotografia. E como cada profissão tem o seu jargão, eis alguns dos “nossos”, num glossário preparado especialmente para vocês:

A -B

Afinar - ajustar o refletor, dando o melhor alinhamento para a cena.

Âmbar – denomina a cor alaranjada em filtros ou gelatinas.



Articulação (cabeça de efeito)
 – conexão para dar movimento aos refletores e equipamentos de maquinaria presos a tripés ou garras.

Back light – ou contraluz; luz que vem do refletor posicionado atrás do objeto ou sujeito em cena.



Ballast 
- reator eletrônico.

Bandeira francesa – bandeira usada para tirar luz da lente que fica acoplada à câmera; é presa por uma haste, tipo mão francesa.

Bandeira de pano – serve para tirar a luz de onde não se deseja ou atenuá-la.

Bandeira de stop – bandeira classificada de acordo com a capacidade de controlar a luz a ser filtrada; está relacionada à quantidade de stops do diafragma: 1 stop, ½ stop, ¼ stop.

Barndoor – é um conjunto de quatro bandeiras metálicas que servem para controlar a luz no refletor; fica acoplado à frente do refletor.

Braçadeira – tira metálica ou de outro material que serve para prender cabos e pequenas peças de refletores.

Butterfly – armação quadrada de alumínio ou ferro que serve para a fixação de panos que filtram ou rebatem a luz.

C – D

Cam-lock – plugue de cabo para ser conectado a saídas de gerador e de main power.

Campo – aquilo que a câmera vê; no espaço, tem a forma de uma pirâmide, onde o vértice é a objetiva.

Chimera – espécie de armação colocada no refletor para poder controlar, “difusar” e converter qualquer refletor de luz dura ou semidifusa em soft (difusa).

Cinefoil – folha de alumínio anodizado em preto usada para controlar vazamentos indesejáveis de luz.

Congo-blue – cor de gelatina entre o violeta e o azul.

Cranck - tipo de tripé que se alonga em estágios, por manivela.

Chroma-key – técnica de efeito visual que consiste em colocar uma imagem sobre uma outra através da anulação de uma cor padrão, como por exemplo o verde ou o azul.

CTB – Correction TBlue; nomenclatura usada para definir filtros de correção azul.

CTO – Correction TOrange; nomenclatura usada para definir filtros de correção âmbar.

Daylight – Luz do dia, com 5.600K de temperatura de cor.

Dedo-light – mini refletores com alta qualidade luminosa.

Difusor – filtro atenuador de sombras, usado à frente do refletor.

Dimmer - regula a intensidade da luz.

DMX - protocolo usado para controle de refletores via mesa digital ou mesa com demultiplexador.

Dual ended (D/E) – nomenclatura dada ao tipo de encaixe da base de uma lâmpada; significa base bilateral.

E – F

Enforcar – puxar o refletor com hoist, pantógrafo ou espingarda para dentro do cenário.

Espelho – rebatedor com espelho preso a um compensado e articulável.

Espingarda – vara com gancho que serve para prender o refletor no grid.

Fantasia -tipo de gelatina que tem a mesma coloração das encontradas em linhas para shows, mas que suporta temperaturas elevadas.

Fase - uma ponta da distribuição de energia; normalmente elas são três (R, S, T), podendo ser de 127V ou 240V cada perna.

Fêmea – a classificação do plugue que contém buracos para encaixe.

Fill light – luz de enchimento; complementa a luz principal.

Flare – incidência direta da luz na lente.

Flick – batimento em freqüência controlada; pode ser pelo flick-master, com o efeito acende-apaga; ou pelo ballast de HMIs (flicker -free).

Flood – foco aberto, lavado, suave; termo também usado para designar refletores tipo Wash.

Foco – ponto onde convergem os raios luminosos projetados por uma fonte; termo usado para definir o ponto em que um objeto iluminado ou enquadrado por uma câmera adquire maior nitidez.

Fog – fumaça emitida por um aparelho a partir do aquecimento de uma solução concentrada de glicerina líquida.

Frame – quadro.

G – H

GBR – modelo de caixa de distribuição.

Gobo – espécie de bandeira que, em filmagens, normalmente fica de pé numa sapata de ferro e recorta a luz de onde não se deseja iluminar; disco de aço ou lâmina de vidro dicroico usados em refletores para conferir formas e efeitos à luz.

Grid – estrutura principal para colocação de hoistis e refletores.

Ground – terra ou ponto de aterramento.

HMI - abreviação para Hidrargyrum Medium Arch-Lenght Iodide, refletor eletrônico com lâmpadas daylight e com descarga de alta potência.

Hoist – onde se acomoda ou hospeda o troller, o pantógrafo e, consequentemente, o refletor; é suspenso por cabos de aço e pode ir do grid até o chão.

I-J – K – L

Jibóia - conjunto de cinco cabos (R, S, T, N, Grd) de 10 ou 16 mm com cabeças conectoras em suas extremidades; usada na alimentação da caixa de distribuição.

Kelvin (K) – unidade de medida usada para indicar a temperatura de cor aparente na escala Kelvin.

Key light – luz principal; é a que define a relação de contraste.

Kino-Flo – tipo de refletor que usa lâmpadas fluorescentes dispostas paralelamente em calhas; pode ser de 5.600K ou 3.200K.

Lavanda – Cor de gelatina.

Levantar de cabeça – suspender o refletor no sentido vertical.

M – N – O

Max-Brut – refletor composto de quatro, seis, nove ou mais lâmpadas de 1.000W; pode ser de 5.000K ou 2.900K.

Mini-Brut – refletor composto de quatro, seis, nove ou mais lâmpadas de 650W; pode ser de 5.000K ou 2.900K.

Mini-Kino – refletor pequeno e de lâmpada fluorescente que pode ser ligado a baterias de carro.

Minus green – tipo de gelatina que reduz a quantidade de verde emitido pela fonte.

Mandrake – recorte feito com bandeiras, isopores ou panos de butterflies que permite à luz criar efeitos variados, como de mato, janelas, árvores, etc.

Neutral Density (ND) – densidade neutra; serve para diminuir a intensidade da luz incidente (quebrar stops) onde houver saturação. É indicada pelas siglas: ND3, ND6 e ND9.

Objetiva – lente ou sistema de lentes que ficam voltados para o objeto que se quer examinar; lente ou sistema de lentes fotográficas; enquadramento no qual a intenção é direcional e intencional, ou seja, que tende a mostrar a intenção da cena.

P -Q – R

Pan (panorâmica) – movimento no sentido horizontal.

Pantógrafo – extensão pantográfica expansível para subir e descer o refletor.

Photo flood – lâmpada semelhante às usadas em residências, porém muito mais potente (filamento sobrevoltado) e com temperatura de cor controlada.

Pinado – refletor alinhado em 90o para detalhar.

Pino – extremidade de tripé ou acessório padronizado para encaixe.

Pin splitter – ferramenta para abertura e alinhamento de plugues PTV.

Pistola – parafusadeira a bateria com extensor variável para descer e subir o pantógrafo e afinar o refletor de estúdio.

Plus green – tipo de gelatina que aumenta a quantidade de verde emitido pela fonte, reduzindo o magenta.

Quadro – retângulo resultante da pirâmide do campo.

Recortar – ajustar o refletor, limitando aquilo a que não se quer dar evidência.

Rosco scrim – usado em portas e janelas para diminuir a quantidade de luz do fundo.

S – T – U

Sargento – garra em forma de ‘G’ para prender refletores.

Single Ended (S/E) – nomenclatura dada ao tipo de encaixe da base de uma lâmpada.

Spot – foco fechado, marcado, direto, pontual; sombra dura.

Soft - refletor de luz industrializado, como os softs de pano, ou montado manualmente (caixa de isopor).

Subir de cano – abrir os estágios do tripé, colocando-o mais alto.

Sun gun – refletor de mão móvel que utiliza bateria.

Temperatura de cor – A temperatura de cor é uma analogia entre a cor da luz emitida por um corpo negro aquecido até a temperatura especificada em Kelvin e a cor que estamos comparando; expressa a aparência de cor da luz emitida por uma fonte; sua unidade de medida é o Kelvin (K).

Tilt - movimento no sentido vertical.

Troller - espécie de carrinho onde o pantógrafo é preso.

UV – filtro que restringe a entrada de raios ultravioletas (UV) na câmera; também serve como proteção direta da lente; em refletores, pode ser usado para filtrar os raios UV emitidos pelos HMI.s.

V – X-Y -W-Z

Vareta – usada para alongar e direcionar melhor bandeiras de pano, refletores, etc.

Y – dispositivo que dobra a saída de cabos; também conhecido como splliter ou “culhão de jibóia”.

Wash – tipo de refletor usado para projetar uma luz mais difusa e lavada.

Zoom – fechar o enquadramento; aproximar a imagem.

Aguardo todos na próxima matéria. Mês que vem, entraremos no mundo da potência, tensão, luz e qualidade das lâmpadas.

Por ora, é só, pessoal! Boas festas e até o ano que vem. Até lá!

Rodapé fixo: Léo Miranda é diretor de fotografia e lighting designer. Há 20 anos atuando na área de iluminação, é especializado em gravações externas e eventos,  já dirigiu a fotografia de comerciais e programas de TV, e também ministra treinamento técnico e operacional a grandes empresas.

Quer tirar dúvidas e propor temas para a coluna? Envie uma mensagem paraleomiranda@luzecena.com.br. Seu e-mail poderá ser publicado na revista.

 

 

 

 site 

 

 

assine 

 

 

 

 

Mais notícias

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comente aqui